domingo, 18 de janeiro de 2009

SONETO Nº 35

Você, que nada é do que autoproclama;
Que vive a ilusão da felicidade;
Você, que sempre julga com iniquidade;
Que perde tudo por si e depois reclama...

Você, que se orgulha da ambiguidade;
Não sabe ser amada e finge que ama.
Você, que faz de tudo um eterno drama;
Que precisa exercitar a vaidade...

Você, que vive n’um mundo que não existe;
Você, que culpa aos outros pelos erros seus;
Que se diz tão forte, mas que sempre desiste...

Você, que teima em simular os erros meus;
Acaba por transformar o sério em chiste...
Diz: Como crer na sua dor, ou no seu adeus?

Um comentário:

Elainesartori disse...

Que se diz tão forte, mas que sempre desiste...

Acredito que todos nós procuramos um culpado pelos nossos erros.
Neste texto vc fala com a minha alma e me faz parar e pensar...
Apesar de querer provar que sou forte me vejo sempre desistindo...
preciso repensar minha vida.
Beijos poéticos.

Elaine Colonhezi