quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

SONETO Nº 31

Quem sabe a falta de um alienista...
Quem sabe a falta de quem me compreenda...
Quem sabe a falta de uma outra senda...
Quem sabe a falta de droga agonista...

Quem sabe a falta de fazer oferenda...
Quem sabe a falta de ser mais egoísta...
Quem sabe a falta de dar menos na vista...
Quem sabe a falta de aumentar a renda...

Quem sabe a falta de conhecer quem sou eu...
Quem sabe a falta de esquecer mais de mim...
Quem sabe a falta de ser menos sireneu...

Quem sabe a falta de fazer outro motim...
Quem sabe a falta de ser bem menos romeu...
Quem sabe a falta de alcançar o meu fim...

Nenhum comentário: