sexta-feira, 17 de agosto de 2007

SONETO Nº 13

Um olhar nos olhos dela e tudo emergiu!
Veio à tona o que dormia no fundo da memória,
O que só podia ver em sonho de noite meritória.
Foi assim, em olhar único, que a verdade surgiu.

Soube então ser ela a mulher a trazer a glória
Do amor verdadeiro que em mi, enfim, luziu.
E tudo que oculto estava, então se traduziu,
Completando a trama de muito antiga história.

De longe, tornando real um sonho bonito, vem
A mulher nascida para ser por mim querida;
Para ser aquela que, por já ser, será meu bem.

Sei que história assim não é, nunca foi, conhecida
Nem por mim, nem por ti, nem por ninguém.
Pois nasceu antes, muito antes; em outra vida!

Nenhum comentário: