sexta-feira, 11 de maio de 2007

SONETO Nº 09

Tropel e fogo no firmamento.
Dragões bufando em labaredas,
Ou balões em coloridas sedas?
Artifícios poéticos d’um lamento.

Nuvens formando gris alamedas
Desmancham-se em frio tormento,
Criando açoites de gotas ao vento.
Imagens de dor; outrora tão ledas.

A noite prossegue, medonha e triste;
Fingindo sorrir, me invento contente.
Mas tremo, gelado; os pelos em riste.

Não há negativa da angústia latente
E a fantasia se exaure; desiste.
Não há tropel ou balões. É chuva, somente!

Nenhum comentário: